• Document: CARTAS DO DAOMÉ: UMA INTRODUÇÃO *
  • Size: 1.1 MB
  • Uploaded: 2019-05-17 14:30:13
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

CARTAS DO DAOMÉ: UMA INTRODUÇÃO * Luis Nicolau Parés** A diplomacia africana com as monarquias europeias no período do tráfico de escravos atlântico é um assunto pouco conhecido. As cartas apresentadas a seguir, porém, nos permitem desven- dar aspectos dessas relações internacionais luso-africanas. A série com- preende quatorze missivas enviadas pelos reis do Daomé a autoridades portuguesas, entre 1790 e, aproximadamente, 1820. Esse período cor- responde aos reinados de Agonglo (1789-1797), Adandozan (1797-1818) e Guezo (1818-1858), e os destinatários foram a rainha d. Maria I de Portugal, o príncipe-regente d. João, e dois dos governadores da Bahia. Uma parte das cartas cruzou o Atlântico acompanhando quatro embai- xadas mandadas pelos monarcas africanos à corte portuguesa: a primei- ra em 1795, em tempo do rei Agonglo, a segunda e a terceira, em 1805 e 1810, em tempo de Adandozan, e a quarta, por volta de 1820, no * Este trabalho é resultado de um projeto coletivo que teria sido impossível sem a generosa contribuição de John Thornton e João José Reis. O primeiro disponibilizou os documentos principais e, com recursos da Boston University, através de um projeto por ele dirigido, finan- ciou parte das transcrições. O segundo coordenou e revisou os trabalhos de transcrição, além de comentar e realizar sugestões relativas à introdução e às notas. Maria Celeste Gomes da Silva transcreveu os documentos do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) e da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro (BNRJ) e, posteriormente, tramitou a obtenção de cópias digitais dos documentos do IHGB. Vinicius Lins Gesteira localizou e forneceu cópias digitais dos documentos do Arquivo Historico Ultramarino (AHU) constantes no Fundo Cas- tro e Almeida, do Projeto Resgate de Documentação Histórica (FCA-PRDH). A todos eles, o meu sincero agradecimento. ** Professor do Departamento de Antropologia da Universidade Federal da Bahia. lnicolau@ufba.br Afro-Ásia, 47 (2013), 295-395 295 cartas.pmd 295 9/4/2013, 15:18 início do reinado de Guezo. As duas primeiras chegaram a Lisboa, com escalas na Bahia, a terceira, com destino à corte do Rio de Janeiro, ficou retida em Salvador, e da quarta desconhecemos a sorte.1 As embaixadas daomeanas foram comentadas por vários autores desde o final do século XIX, mas Pierre Verger, em 1968, na sua monumen- tal obra Fluxo e Refluxo, lhes dedicou um capítulo, transcrevendo, inclusi- ve, nove das missivas supostamente escritas pelos reis Agonglo e Adandozan. Isaac A. Akinjogbin também usou algumas dessas cartas, e inclusive publi- cou seu trabalho antes de Verger, mas foi este quem traduziu e lhe passou cópias das mesmas.2 Contudo, os arquivos continuaram a esconder algu- mas joias. Em 1997, na sua primeira visita ao Brasil, pesquisando no Insti- tuto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) no Rio de Janeiro, o histori- ador John Thornton teve a sorte de achar duas carta do rei Adandozan e 1 Houve uma primeira embaixada enviada pelo rei Tegbesu a Lisboa, via Bahia, em 1750, mas dela não se conserva qualquer missiva do monarca. Conserva-se, porém, a Relaçam da Embayxada, que o poderoso Rey de Angome Kiayy Chiri Broncom, Senhor dos dilatadissimos Sertões de Guiné mandou ao Illustrissimo e Excellentissimo Senhor D. Luiz Peregrino de Ataide, Conde de Atouguia, Senhor das Villas de Atouguia, Peniche, Cernache, Monforte, Vilhaens, Lomba, e Paço da Ilha Dezerta, Cõmendador das Cõmendas de Santa Maria de Adaufe, e Villa velha de Rodam, na Ordem de Christo, do Conselho de Sua Magestade, Governador, e Capitão General, que foy do Reyno de Algarve & actualmente Vice-Rey do Estado do Brasil: pedindo a amizade, e aliança do muito alto; e poderoso Senhor Rey de Portugal Nosso Senhor / escrita por J. F. M. M. (Lisboa: Na Officina de Francisco da Silva, anno de 1751). 2 “Dois embaixadores africanos mandados à Bahia pelo rei do Dago

Recently converted files (publicly available):