• Document: Lília Machado. A Nau dos Tempos Um tributo à arqueóloga Dra. Lilia Maria Cheuiche Machado
  • Size: 97.7 KB
  • Uploaded: 2019-02-13 21:07:32
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

Necrológico Lília Machado 3 1938 2005 Ondemar Dias Lília Maria Tavares Cheuiche nasceu no Alegrete, onde passou os primeiros anos de sua vida, filha do General Alcy Cheuiche, figura de destaque no mundo cultural e educacional gaúcho e de gran- de projeção em sua cidade. Graças a isto, cresceu aprendendo a valorizar as ma- nifestações artísticas e intelectuais, vin- do a se interessar pela preservação do A Nau dos Tempos patrimônio histórico e natural regional. Um tributo à arqueóloga No início da década de sessenta graduou- Dra. Lilia Maria Cheuiche Machado se pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, bacharel e licenciada em “... é o amor amigo, História. ele é atemporal, Por motivos pessoais, chegou no Rio ele é eterno, de Janeiro no final daquela mesma dé- navega ao sabor dos ventos divinos cada, onde a conhecemos, em curso pro- sobre ondas das essências, movido pelo IAB na Casa do Estudante no mar da eternidade do Brasil. Em seguida, participou tam- bém como aluna, no curso de Especiali- À nossa amada zação em Arqueologia, que o IAB, o Cen- Amiga, Lília que hoje veleja, tro Brasileiro de Arqueologia e a Univer- no sutil soprar sidade Santa Úrsula, promoveram du- dos ventos infinitos” rante os anos de 1971 e 1972. Logo de- pois dela, e oriundos do mesmo curso, José Antônio Alves Azevedo começaram suas atividades no IAB pes- quisadores da categoria de Franklin Levy, Francisco Pavia, Joaquina Ivars e Eliana Carvalho, entre outros, cujos trabalhos engrandeceram nossa sociedade e aju- daram a transformar o IAB em uma ins- tituição cada vez mais produtiva e res- peitada em nosso país e fora dele. Lília Cheuiche desde cedo se interes- sou pelos estudos de antropologia física e graças a nossa amizade com a mais competente especialista da época, Dra. Revista Arqueologia, 16: 7-12, 2003 7 Dias, O. Marília Alvim, do Museu Nacional da (Clifford Evans e Betty Meggers), a opor- UFRJ, com ela aprendeu os primeiros tunidade de aprofundar seus conheci- passos desta especialidade, trabalhan- mentos na Smithsonian Institution, do seriamente ao seu lado, analisando onde, inclusive fez curso de medicina os primeiros restos esqueletais huma- legal aplicável aos restos esqueletais ar- nos recolhidos por nós. Naquele Museu queológicos, uma das pouquíssimas es- também recebeu orientação do Prof. Tar- pecialistas neste setor no nosso país. Ali císio Messias, diversificando e aprofun- também trabalhou sob orientação dire- dando sua experiência. Este estágio, e ta do Dr. Ubelaker, reconhecido, em todo seus trabalhos de cooperação científica, o mundo, como uma das maiores auto- se estenderam entre 1971 e 1977, re- ridades em antropologia biológica. Este sultando em alguns textos de importân- período, de importante significado no cia, devidamente publicados com aque- aperfeiçoamento de sua especialidade, la querida mestra. estendeu-se de 1978 a 1980. Dividiu também os trabalhos do la- Retornando ao Brasil, com os estu- boratório de Bioarqueologia do IAB, com dos desenvolvidos sobre o material do o Prof. Marcos Infante Vieira, já falecido Sítio Corondó, escreveu sua tese de Dou- há muito, que também era assistente da torado, com a inovadora técnica de aná- Dra. Alvim, no Museu Nacional, de for- lise que lhe permitiu, juntamente com ma que este Laboratório, desde seu iní- um dos seus mestres norte-amer

Recently converted files (publicly available):