• Document: PROJETO PEDAGÓGICO Bacharelado em Antropologia
  • Size: 2.84 MB
  • Uploaded: 2018-12-08 19:08:16
  • Status: Successfully converted


Some snippets from your converted document:

PROJETO PEDAGÓGICO Bacharelado em Antropologia REDATORES DO PROJETO Cláudio Baptista Carle (Coordenação) Adriane Rodolpho Claudia Turra Magni Flavia Maria Silva Rieth Francisco Luiz Pereira da Silva Neto Jaime Mujica Sallés Jorge Eremites Oliveira Loredana Ribeiro Lori Altmann Lúcio Menezes Ferreira Rafael Guedes Milheira Renata Menasche Rogério Reus Gonçalves da Rosa Rosane Aparecida Rubert Pelotas, Novembro de 2013. 1. Perfil do Curso a) Denominação: Bacharelado em Antropologia b) Modalidade Presencial c) Titulação Conferida Bacharelado em Antropologia, formação em Antropologia Social e Cultural; Bacharelado em Antropologia, formação em Arqueologia. d) Duração do Curso Mínima, 08 semestres. Máxima, 16 semestres. e) Carga Horária Total do Curso A Linha de Formação em Antropologia Social e Cultural compreende 2.550 horas (uma hora correspondendo, obviamente, a 60 minutos) de atividades discentes, distribuídas em 148 créditos mínimos. A Linha de Formação em Arqueologia compreende, igualmente, 2.550 horas de atividades discentes, distribuídas em 148 créditos mínimos. As duas linhas de formação integralizam as horas de atividades discentes com 330 horas de formação complementar. f) Turno Noite e Tarde. g) Ingresso Regular, Número de Vagas Oferecidas e Forma Alternativas de Ingresso O ingresso ao Bacharelado em Antropologia é realizado anualmente via processo seletivo de verão, sendo oferecidas 50 vagas. Prevê-se, também, o ingresso de discentes pelas seguintes formas: reopção, reingresso, transferência de outros cursos de graduação e portadores de diploma. h) Regime Acadêmico Semestral j) Unidade Acadêmica Instituto de Ciências Humanas – ICH Departamento de Antropologia e Arqueologia – DAA 2. Justificativa da Oferta do Curso A aprovação do projeto pedagógico do curso Bacharelado em Antropologia pelo Conselho Coordenador do Ensino (COCEPE), conforme Processo nº 23110.003054/2008-41, introduziu um novo marco na história da Antropologia e da Arqueologia na Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). Quanto à concepção do curso, a aproximação entre Antropologia e Arqueologia ancora-se nas tradições norte-americana e latino-americana. Na maioria dos países de língua espanhola do continente americano ― por exemplo, México, Peru, Bolívia, Argentina, Uruguai ―, atuam, nos cursos de Antropologia, tanto antropólogos como arqueólogos. O mesmo é verdade nos Estados Unidos e Canadá. No Brasil, essa proposta de Curso ainda é um fato recente, inserida no espírito de renovação acadêmica em voga no país. Há cursos de graduação de Antropologia, atualmente, na Universidade Federal do Amazonas (UFAM), na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), na Universidade Federal da Bahia (UFBA), na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Com relação à Arqueologia, há nove cursos de graduação em andamento ― Universidade Federal de Sergipe (UFS), Universidade Federal do Pará (UFPA), entre outras ― seis deles fundados a partir de 2003. A originalidade da UFPEL é o bacharelado em Antropologia com Linha de Formação em Antropologia Social e Cultural e Linha de Formação em Arqueologia. Com relação ao mercado de trabalho para antropólogos e arqueólogos, observa-se que, a partir dos anos 1990, ambas as áreas apresentaram uma grande expansão no Brasil. O incremento acontece devido à diversificação do mercado de trabalho em instituições de ensino superior (públicas e privadas), em projetos realizados pelo Estado, museus, organizações não-governamentais e setor privado. Por exemplo, a emissão de relatórios territoriais para coletivos humanos, o levantamento do patrimônio material e imaterial, a musealização e a turistificação são demandas promissoras tanto para o futuro antropólogo, quanto para o arqueólogo no mundo local e globalizado. 3. Objetivos do Curso 3.1.Objetivo Geral Formar profissionais aptos a desenvolver estudos e atividades relacionadas à Antropologia Social e Cultural e Arqueologia. 3.2. Objetivos específicos Proporcionar estudos de processos sociais em contextos rurais e urbanos diversos, considerando-se as múltiplas diversidades étnico/sociais. Estudar as relações sociais e as diferentes manifestações culturais. Nessa linha, pesquisar as diversas formas de apropriação dos espaços, em sentido sincrônico e diacrônico, por múltiplos grupos étnicos e sociais. Caracterizar os contextos arqueológicos e antropológicos e as formas de interação entre diferentes grupos nos diversos aspectos que os constituem. Identificar os limites e permeabilidades entre os grupos étnicos e sociais refletidos nas culturas e artefatos, isto é, na cultura material. Realizar pe

Recently converted files (publicly available):